Inicio / Cidades / Vitória provoca expulsão e acaba o Ba-Vi antes da hora

Vitória provoca expulsão e acaba o Ba-Vi antes da hora

Vitória forçou expulsão e terminou o jogo antes da hora (Maurícia da Matta / EC Vitória)

O que seria o Ba-Vi da paz terminou como o Ba-Vi da vergonha neste domingo (18), no Barradão. Com 1×1 no placar e após 16 minutos de paralisação por causa de brigas, o jogo terminou aos 34 minutos do segundo tempo porque o Vitória não teve jogadores suficientes.

A regra diz que a partida não pode continuar se um time tiver menos de sete jogadores em campo. Foi o que aconteceu, e de maneira proposital.

O Vitória tinha sete jogadores em campo. Primeiro porque Kanu, Rhayner e Denilson foram expulsos por causa de uma briga que começou quando Vinicius empatou de pênalti para o Bahia – no primeiro tempo, Denilson havia feito 1×0 para o rubro-negro.

O jogo só recomeçou depois de 16 minutos de bola parada e quatro jogadores do Bahia também expulsos, sendo os titulares Vinícius e Lucas Fonseca e os reservas Edson e Rodrigo Becão. Ou seja, com nove do Bahia e oito do Vitória.

Até que o rubro-negro Uillian Correia foi expulso após fazer falta por trás em Zé Rafael e receber o segundo cartão amarelo. O Vitória, com sete em campo, ficava no limite.

Poucos minutos depois, o Bahia teve uma falta para cobrar no ataque. E, após uma troca de informações entre o supervisor Mário Silva, o técnico Vagner Mancini e alguns jogadores como Ramon e Bryan, o zagueiro Bruno Bispo caminhou até a bola, que estava parada para Allione cobrar, e a chutou para longe. Ele já tinha cartão amarelo, foi expulso e acabou o jogo antes da hora.

A primeira briga
A primeira grande confusão do jogo começou aos 4 minutos do segundo tempo, quando o Bahia empatou o jogo em cobrança de pênalti de Vinícius. Na comemoração, o meia tricolor fez uma dancinha estilo “créu” e gesto de “cala a boca” direcionado para a torcida do Vitória.

O goleiro Fernando Miguel não gostou e saiu em disparada segurando o jogador do Bahia e bradando com ele. Foi o início de uma briga generalizada em que Vinícius levou socos de Denilson, Yago e Kanu, e o volante Edson, do Bahia, deu um murro no lateral Bryan, do Vitória, além de outros jogadores envolvidos.

O árbitro Jailson Freitas expulsou três jogadores do Vitória: Kanu, Denilson e Rhayner, todos titulares; e quatro do Bahia, sendo os titulares Lucas Fonseca e Vinícius, sendo que este não havia revidado nem tinha cartão amarelo, e os reservas Rodrigo Becão e Edson.

Regulamento dá triunfo ao Bahia
O regulamento geral de competições da CBF afirma, em seu artigo 56, que nenhuma partida poderá ser disputada com menos de sete atletas. E acrescenta, no inciso 3º, que “após o início da partida, se uma das equipes ficar reduzida a menos de sete (7) atletas, dando causa a essa situação, tal equipe perderá os pontos em disputa”.

O inciso 4º complementa: “O resultado da partida será mantido, na aplicação do § 3º, se, no momento do seu encerramento, a equipe adversária estiver vencendo a partida por um placar igual ou superior a três (3) gols de diferença; e se tal não ocorrer, o resultado considerado será de três a zero (3×0) para a equipe adversária”.

O técnico Guto Ferreira já falou como vencedor do clássico, embora em tom de lamento: “Infelizmente um triunfo do Bahia que não tem aquele gostinho porque dentro de campo não foi possível terminar da maneira que tinha que terminar. Mas aí não cabe a nós julgar ou tomar decisões por eles. Nós sempre honramos os torcedores, buscamos os resultados até o final”.

A Federação Bahiana de Futebol ainda não publicou a súmula da partida.

Correio 24 hs

Sobre Redator Amargosa

Check Also

Inauguração do comitê de Dal reúne milhares de pessoas em Amargosa

Milhares de pessoas estiveram presentes na tarde deste domingo (09), na cidade de Amargosa, no …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: